As alterações fonoaudiológicas na doença de Parkinson estão concentradas nas áreas de voz, articulação e deglutição.

Elas são representativas particularmente de dois sinais cardinais do Parkinson - rigidez e bradicinesia, e de uma das complicações não- motoras - a disautonomia.

a=

Estas alterações começam a se manifestar em alguns anos após o início da doença, podendo estar presente nas seguintes formas:
Voz: Rouca ou rouca-soprosa, monótona, tendendo às freqüências graves, e com intensidade (volume) reduzida;
Fala:
Alterações na fluência (“gagueira”) e articulação imprecisa dos sons;
Deglutição: Dificuldade na mastigaçãodos alimentos, engasgos, tosses ou pigarros, perda de saliva, seu acúmulo ou espessamento.

Desta forma, ao identificar algumas destas alterações em sua comunicação ou deglutição, procure um fonoaudiólogo pois o quanto antes você puder ser tratado, melhor e mais duradouros serão os resultados obtidos.

Como funciona o Serviço?
Após a realização da avaliação fonoaudiológica, o parkinsoniano é encaminhado para o atendimento terapêutico, estes atendimentos podem ser feitos individualmente ou em grupo, dependendo da dificuldade comunicativa do paciente.

O serviço dispõe ainda do setor de aconselhamento fonoaudiológico, que tem como função e objetivo ajudar paciente, família e cuidador a lidar com as dificuldades de comunicação e deglutição inerentes ao Parkinson, podendo ser agendado a qualquer momento, estando ou não o paciente em fonoterapia.

Horário de Funcionamento: Segunda e quarta-feira das 14:00 ás 17:00 hs

O serviço de Fonoaudiologia é absolutamente gratuito mas com hora marcada através do telefone: (011) 2578-8177 ou se preferir venha nos visitar em nossa Sede Social: Av. Bosque da Saúde, 1155, São Paulo/SP

Obs: Para marcar um primeiro encontro entre em contato conosco no telefone da Associação Brasil Parkinson, nos horários acima citados.

Qual o trabalho feito com o paciente com Parkinson?
O paciente parkinsoniano pode apresentar intensidade de voz reduzida, dificuldade em articular os sons da fala, voz trêmula e rouquidão. Além das alterações vocais o paciente pode apresentar dificuldades para engolir, tosses ou engasgos antes, durante e após a deglutição (ato de engolir).

Assim, o fonoaudiólogo, através de orientações e exercícios, trabalha junto com o paciente para que ele aumente o volume da voz, assim articulará melhor os sons da fala e conseqüentemente passará a ser melhor compreendido pela família e pelos amigos. Nos aspectos de deglutição o fonoaudiólogo trabalho com exercícios específicos e mudanças de postura para facilitar e adequar a deglutição.

O fonoaudiólogo também atua junto aos cuidadores (pessoas que auxiliam, cuidam do portador da doença) dando orientações sobre o que está acontecendo com a voz do parkinsoniano, o que é feito na terapia e o que pode ser feito em casa.

Dicas básicas
Uma das manifestações da Doença de Parkinson é a dificuldade de comunicação devido a diversos fatores como: rigidez muscular (inclusive músculos da face e laringe), intensidade da voz reduzida, voz monótona, alterações na velocidade de fala, dificuldade de articular e pronunciar palavras, etc.

Estas manifestações podem atrapalhar muito a comunicação. Às vezes as pessoas não compreendem a fala do indivíduo com Doença de Parkinson e pedem para repetir o que foi dito, ou às vezes reclamam que a voz está muito "baixa" e que não conseguem compreendê-lo por isso. Existem algumas dicas que podem ajudar a melhorar a comunicação:

Procure falar alto
Aumente seu volume de voz. A princípio, você pode achar que está falando alto demais ou gritando, quando na verdade você está apenas falando numa intensidade normal a audível. O ouvido se habitua a ouvir numa intensidade reduzida e então no começo pode parecer estranho, mas aos poucos você se acostumará a falar na sua intensidade habitual e as pessoas vão te compreender melhor.

Procure articular melhor as palavras
Quanto melhor articular as palavras, melhor será a compreensão delas. Uma boa articulação deixa a fala mais clara, aberta e audível.

Velocidade de fala
Cuidado com a velocidade de fala. Falar rápido demais dificulta a articulação e a compreensão das palavras. E falar lento demais pode tornar a fala monótona e desinteressante. Equilibre a velocidade, seja dinâmico!

Postura adequada
Procure falar de frente para as pessoas, assim, elas poderão compreender melhor a fala. A expressão facial ajuda a transmitir a mensagem. Mantenha a cabeça erguida, sem esticar demais o pescoço; mantenha as costas eretas e os ombros não devem ficar arqueados para a frente. Deixe o corpo livre para se movimentar. Uma postura adequada permite uma boa respiração que é essencial na comunicação.

Beba muita água
Manter sempre uma boa hidratação ajuda no funcionamento das cordas vocais. Procure beber pelo menos 2 litros de água por dia.

Evite pigarrear
O ato de pigarrear (ficar raspando a garganta) pode "machucar" as cordas vocais, causando uma irritação. Quando sentir necessidade de pigarrear respire e engula em seguida. A ingestão de água também ajuda a aliviar o pigarro.

Este é o seu espaço para nos deixar uma mensagem, seja crítica, elogio, sugestão, dúvida ou apenas um alô. Entre em contato.
Aguardamos sua próxima visita!